O POSITIVISMO JURÍDICO E A BÍBLIA – Amilton Alvares




O professor Eros Grau, ex-Ministro do STF, publicou interessante artigo no Estadão sob o título “Em defesa do positivismo jurídico”. O autor destaca o princípio da separação dos poderes na estrutura da República, ressaltando que quem faz as leis é o Legislativo e quem as aplica são os juízes. Ele afirma de maneira contundente que “volta e meia os juízes fazem as suas próprias leis”. Destaca que a independência judicial é vinculada à obediência dos juízes à lei e que os juízes são servos da lei. Eros Grau insiste em afirmar que os juízes aplicam o Direito, não fazem justiça. Em outras palavras, diz que não se deve “jogar para a torcida”. E prossegue afirmando que justiça absoluta só pode emanar de Deus, e que “os homens, na esfera em que estamos, não produzem justiça, só lá em cima há jus!”. O ex-Ministro do STF afirma que tem medo dos juízes, em especial dos juízes dos tribunais, que insistem em substituir o controle de constitucionalidade, por controles de outra espécie. Bem, para entender melhor, recomendo a leitura do artigo no link: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,em-defesa-do-positivismo-juridico,70002305339.

Eu gostei mesmo foi da palavra final do Ministro: “Ao cabo destas expansões o que me dá paz é ler, na Bíblia, o profeta Isaías (32,15-17): quando alcançarmos a Restauração Final, “uma vez mais virá sobre nós o espírito do alto. Então o deserto se converterá em pomar, e o pomar será como uma floresta. Na terra, agora deserta, habitará o direito, e a justiça no pomar. A paz será obra da justiça, e o fruto da justiça será a tranquilidade e a segurança para sempre”. Move-me a esperança em que a defesa do positivismo do Direito me faça no futuro chegar lá”. Que belo apelo – eu quero chegar lá!

As palavras do professor me fizeram lembrar do que Jesus disse ao entrar em Jerusalém. O povo gritava – “Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas maiores alturas! Jesus foi instado a repreender a multidão e respondeu – “Se eles se calarem, as próprias pedras clamarão’ (Lucas 19:38-40). Pois bem, parece que as pedras estão clamando – Justiça perfeita só mesmo a divina! Na terra, agora deserta, habitará o direito e a justiça. Só não tem jeitinho brasileiro para entrar no Paraíso. E ninguém pode criar as próprias leis para estabelecer o acesso. Para entrar no céu, Deus deixou a sua receita e entregou a cartilha – Tem de reconhecer que é pecador e precisa assumir Jesus como Salvador (João 3:16-18). No Reino de Deus a paz será obra da justiça, e o fruto da justiça será a tranquilidade e a segurança para sempre. Sejamos servos de Cristo, porque não vai ter jeitinho na porta do céu.

Para ler JEITINHO BRASILEIRO NA PORTA DO CÉU, clique aqui.

* O autor é Procurador da República aposentado, Oficial do 2º Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de São José dos Campos/SP, colaborador do Portal do Registro de Imóveis (www.PORTALdoRI.com.br) e colunista do Boletim Eletrônico, diário e gratuito, do Portal do RI.

Como citar este devocional: ALVARES, Amilton. O POSITIVISMO JURÍDICO E A BÍBLIA. Boletim Eletrônico do Portal do RI nº. 095/2018, de 18/05/2018. Disponível em

___________

Publicação: Portal do RI (Registro de Imóveis) | O Portal das informações notariais, registrais e imobiliárias!

Para acompanhar as notícias do Portal do RI, siga-nos no twitter, curta a nossa página no facebook, assine nosso boletim eletrônico (newsletter), diário e gratuito, ou cadastre-se em nosso site.

Deixe seu comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>