O que eu posso ganhar ou perder? – Parte III – Conclusão – Por Amilton Alvares

* Amilton Alvares

O tema principal deste estudo é “Quão difícil é seguir Jesus”. O questionamento que serve de título é uma pergunta inerente ao tema, pergunta que costuma invadir a nossa mente sempre que temos de enfrentar situações novas. No primeiro estudo da série, abordamos o tema sob a perspectiva das mudanças. O que eu posso ganhar ou perder se fizer isto ou aquilo? Na segunda parte, abordamos o tema sob a perspectiva das incertezas. Porque não estabelecemos um canal direto de comunicação com Deus antes de tomar decisões, deixamos Deus à margem das nossas decisões. Deus fica na prateleira de nossa vida, como se fosse um soldado de reserva. Cabe agora concluir o estudo sob o prisma da simplicidade (ou praticidade) de permanecer onde estamos e mudar as atitudes. É que diante das dúvidas, inquietações e perspectivas de mudanças radicais, talvez a melhor opção seja a de permanecer onde Deus colocou você. Permanecer na profissão ou no emprego, permanecer casado, permanecer na mesma comunidade, preservar amizades e conquistas e permanecer em silêncio para aprender a ouvir a voz de Deus. Dar frutos onde Deus colocou você.

O nosso estudo foi orientado pelo texto do Evangelho de Lucas, capítulo 9, versos 57 a 62. Nessa passagem, Jesus de Nazaré estabeleceu diálogo com três homens. O apelo ou proposta era no sentido de seguir Jesus. No texto bíblico, os interlocutores disseram ou deram a entender que fariam isso depois, pois tinham coisas mais importantes para resolver. Jesus não insistiu. Ao que tudo indica, aqueles três homens não prosseguiram na jornada com Jesus.

A mesma passagem de Lucas pode ser lida no Evangelho de Mateus (Capítulo 8, versos 18 a 22). O relato de Lucas é mais completo, mas o texto de Mateus ilumina o pensamento quando se considera a possibilidade de permanecer no front. Veja-se que dois daqueles homens, que dialogaram com Jesus, deviam estar integrados ou muito próximos do grupo do Messias. Um deles era escriba; fazia parte do grupo religioso daquela época e, ao chamar Jesus de mestre e prometer seguir o Salvador, demonstrou estar integrado na seara ou então que pretendia se integrar à comitiva de Jesus, que empolgava as multidões. O outro era discípulo (Mt.8:21), portanto, decididamente estava integrado ao grupo de Jesus. Estes homens, que já estavam dentro da "campanha", ofereceram-se então para seguir a Jesus para onde quer que o Salvador fosse. É mais ou menos isso que a decisão de permanecer pode exigir da gente. Simplesmente permanecer no front com maior determinação. Apesar das dificuldades, eu tomo a decisão de vestir a camisa da empresa onde trabalho; quero assumir a paternidade (ou maternidade) responsável, desejo permanecer na minha comunidade e ajudar os meus companheiros, quero permanecer casado (e bem casado), ser um bom filho, tocar o meu ministério ou ofício com zelo e dedicação. Nas mudanças para coisas novas os sonhos normalmente florescem. Sonhar faz bem à mente e à saúde. Não devemos nos encolher quando somos chamados a deixar a zona de conforto e mudar. Mas a verdadeira mudança pode ser estabelecida dentro de nós e na situação em que a gente já está vivendo. Eu posso seguir a Jesus com outra motivação e disposição, eu posso me dedicar inteiramente a fazer o meu casamento dar certo, eu posso assumir a minha profissão ou função e dar o meu melhor, independentemente das circunstâncias. Você pode dar fruto onde está, até mesmo sem necessidade de grandes mudanças. Você pode transformar em benção um ambiente de sofrimento. Os “quês” e os “porquês” terão boas respostas, e a paz e segurança que você tanto busca estarão numa linha de desdobramento natural das mudanças implementadas em suas atitudes. Jesus de Nazaré não está oferecendo um lugar confortável para você reclinar a cabeça nesta Terra – “O Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. O que Ele oferece pode ser menos agora, mas será muito mais depois – Vida Eterna com Deus. Não podemos saber previamente como vamos terminar a jornada terrena, e esse é o mais poderoso instrumento de Deus para desenvolver a nossa fé. As mudanças se apresentam diante de nós e os desafios sempre exigem um certo tempero da prudência com a ousadia. Experimente mudar! Tente mudar, não desista dos seus sonhos. Talvez você tenha que abandonar a zona de conforto de sua vida. Confia no Senhor. Não se esqueça que Jesus Cristo é Salvador de homens pecadores e que o justo viverá pela fé.  Persevere! O convite de Jesus é permanente. Você é importante para Ele e pode seguir o seu mestre no ambiente em que você está. As pessoas podem olhar para você e ver a face de Jesus estampada em sua cara. Ame a Deus; ame o próximo. Você só tem a ganhar; se não for agora, será na eternidade com Deus. O Salvador quer você em seu time e recomenda: "Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça e todas as outras coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6:33)

Clique aqui e leia a Parte II.

Clique aqui e leia a Parte I.

________________

* O autor é Procurador da República aposentado, Oficial do 2º Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de São José dos Campos/SP, colaborador do Portal do Registro de Imóveis (www.PORTALdoRI.com.br) e colunista do Boletim Eletrônico, diário e gratuito, do Portal do RI.

Como citar este artigo: ALVARES, Amilton. O QUE EU POSSO GANHAR OU PERDER? – PARTE III – CONCLUSÃO. Boletim Eletrônico do Portal do RI nº. 0219/2014, de 17/11/2014. Disponível em http://www.portaldori.com.br/2014/11/17/o-que-eu-posso-ganhar-ou-perder-parte-iii-conclusao-por-amilton-alvares/. Acesso em XX/XX/XX, às XX:XX.

Publicação: Portal do RI (Registro de Imóveis) | O Portal das informações notariais, registrais e imobiliárias!

Para acompanhar as notícias do Portal do RI, siga-nos no twitter, curta a nossa página no facebook, assine nosso boletim eletrônico (newsletter), diário e gratuito, ou cadastre-se em nosso site.


O que eu posso ganhar ou perder? – Por Amilton Alvares

* Amilton Alvares

Diante de qualquer perspectiva de mudança, muitas perguntas se apresentam à nossa mente. As mais freqüentes talvez sejam: O que eu posso ganhar e o que eu posso perder se fizer isto ou aquilo? Isso vale no mundo dos negócios e também no cotidiano da vida. O que eu posso ganhar se trocar de emprego? O que eu posso perder se mudar de esposa ou de esposo? E se mudar de profissão, mudar de cidade, comprar um imóvel, fazer um investimento. Os “quês” e os “porquês” assolam a nossa mente nas coisas simples e complexas. De fato, nós, humanos, somos seres complicados e estamos sempre à procura de uma resposta que seja capaz de garantir segurança e paz. Costumamos nos frustrar porque não é possível ser Deus da própria vida.

No Capítulo 9 do Evangelho de Lucas, Jesus de Nazaré estabeleceu diálogos com três homens. O primeiro e o último se ofereceram para seguir Jesus; o outro, recebeu um convite para seguir o Salvador (Lc. 9:57-62). As respostas de dois deles seguiram um padrão comum, que serviria até mesmo para nossos dias  – “Jesus, eu vou te seguir; mas antes preciso resolver outras coisas importantes. Dá um tempo mestre". A terceira resposta, se é que houve resposta, não está registrada na Bíblia. Não sabemos como terminou a conversa com o cara que tomou a iniciativa de se oferecer para seguir a Jesus. Essa parte do relato é a que mais intriga e chama a minha atenção. Vejamos o diálogo deste “admirador” com o seu mestre – Quando andavam pelo caminho, um homem lhe disse: “Eu te seguirei por onde quer que fores”. Jesus respondeu: “As raposas tem suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”. A suma de Jesus é simples. Ele está dizendo, olhe, veja bem, pouco tenho para oferecer nesta vida; considere todas as coisas e veja se fato você quer pagar o preço de ser meu seguidor. Isso não é como seguir algum notável no facebook ou twitter. Vai ter um preço.

Não sei se somos conservadores ou mesquinhos, quando gostamos de buscar segurança. Queremos garantir a própria paz, mas nem sempre é possível estabelecer uma equação matemática para medir riscos e fugir de projetos promissores, que também podem levar ao fracasso. Não podemos saber previamente como vamos terminar a jornada terrena, e esse é o mais poderoso instrumento de Deus para desenvolver a nossa fé. As mudanças se apresentam diante de nós e os desafios sempre exigem um certo tempero da prudência com a ousadia. Antes de entrar de cabeça nas mudanças será preciso pensar, pesar e sopesar. No entanto, não podemos ser refratários a qualquer mudança a ponto de sufocar todos os sonhos que brotam dentro da gente. Sonhar faz bem à saúde e à mente. Melhor ainda é alimentar e realizar sonhos, e viver com a perspectiva da vida abundante prometida por Deus. Quem se arriscar a deixar a zona de conforto poderá ter o privilégio de participar positivamente da vida de pessoas e com isso será grandemente abençoado por Deus.

Diante dos diálogos de Lucas 9:57-62, temos de apreender que muitas coisas a gente faz por convicção e por fé. Nesta vida, talvez eu ganhe pouco por seguir a Jesus – “O Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”. O que Ele oferece é a Cruz, onde eu preciso sepultar o meu velho homem e nascer de novo. Se eu tiver a coragem de passar pela Cruz e entregar a vida ao meu Salvador, Ele mesmo vai começar uma nova vida em mim, que começa aqui e termina na eternidade com Deus. Pelo prisma humano, pode não significar muito. Nesta vida, Jesus de Nazaré não oferece refresco para ninguém. Ele mesmo advertiu que no mundo passaremos por aflições. Mas assegurou: “Tende bom ânimo, Eu venci o mundo”. No diálogo de Lucas, não sabemos como aquele homem reagiu depois de ouvir Jesus dizer que não tinha casa nem onde reclinar a cabeça. Não sabemos quanto tempo durou aquela conversa nem se aquele homem teve a sensibilidade de entender que estava diante do seu Salvador. Hoje, muitos ainda têm Jesus como simples mestre, alguém para ser admirado e guardado na História. Mas qualquer um pode ir além, ler na Bíblia e compreender que Jesus, só Ele é Salvador de homens pecadores. Aí talvez você ainda diga, mas quem pode me garantir isso? Aqui também não há equação matemática para blindar a resposta. É questão de fé. A Bíblia diz que o justo viverá pela fé (Romanos 1:17). Eu estou nesse time e posso assegurar que se você der esse passo de fé, poderá então sentir a paz que excede a todo entendimento, paz de quem tem a certeza da salvação e da vida eterna. E posso testemunhar que eu sinto essa paz.

Agora se para você tudo se resume em ganhar ou perder e a perspectiva de vida sempre passa por esse questionamento, considere então o pensamento de Blaise Pascal, na aposta com o ateu, que pode ser sumariada na seguinte equação:

  • se você acredita em Deus e estiver certo, você terá um ganho infinito;
  • se você acredita em Deus e estiver errado, você terá uma perda finita;
  • se você não acredita em Deus e estiver certo, você terá um ganho finito;
  • se você não acredita em Deus e estiver errado, você terá uma perda infinita.

Eu não tenho dúvidas de que vale a pena seguir a Jesus rumo à eternidade com Deus.

Clique aqui e leia a Parte II.

________________

* O autor é Procurador da República aposentado, Oficial do 2º Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de São José dos Campos/SP, colaborador do Portal do Registro de Imóveis (www.PORTALdoRI.com.br) e colunista do Boletim Eletrônico, diário e gratuito, do Portal do RI.

Como citar este artigo: ALVARES, Amilton. O QUE EU POSSO GANHAR OU PERDER?. Boletim Eletrônico do Portal do RI nº. 0211/2014, de 05/11/2014. Disponível em http://www.portaldori.com.br/2014/11/05/o-que-eu-posso-ganhar-ou-perder-por-amilton-alvares/. Acesso em XX/XX/XX, às XX:XX.

Publicação: Portal do RI (Registro de Imóveis) | O Portal das informações notariais, registrais e imobiliárias!

Para acompanhar as notícias do Portal do RI, siga-nos no twitter, curta a nossa página no facebook, assine nosso boletim eletrônico (newsletter), diário e gratuito, ou cadastre-se em nosso site.


Ore Por Tudo – Por Max Lucado

* Max Lucado

Assim que você se deparar com algum problema, traga logo para Jesus.

“Max, se eu levar meus problemas para Jesus toda vez que eu tiver um, estarei falando com Jesus o dia inteiro.”

Agora você entendeu! Um problema sem oração é um espinho bem cravado em nós. Ele contamina e infecciona o dedo, daí a mão, e depois o braço inteiro. É melhor ir direto à pessoa que tem a pinça. Quantos desastres não seriam evitados se fôssemos primeiro para Jesus?

Filipenses 4:6 diz “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus.”

Comece a buscar Deus em oração e sua vida vai mudar para sempre!

Clique aqui e leia o texto original.

Fonte: Max Lucado – Site Max Lucado – Devocional Diário | 29/10/2014.

Publicação: Portal do RI (Registro de Imóveis) | O Portal das informações notariais, registrais e imobiliárias!

Para acompanhar as notícias do Portal do RI, siga-nos no twitter, curta a nossa página no facebook, assine nosso boletim eletrônico (newsletter), diário e gratuito, ou cadastre-se em nosso site.