TJ/MG: Minas já possui Central Eletrônica de Registro de Imóveis




Estado é o primeiro a implantar a ferramenta com todas as funcionalidades

Foi inaugurada na sexta-feira à tarde, 18 de março, a Central Eletrônica de Registro de Imóveis do Estado de Minas Gerais (CRI-MG). A solenidade, realizada no auditório da Corregedoria-Geral de Justiça, foi presidida pelo corregedor-geral de Justiça, desembargador Antônio Sérvulo dos Santos e reuniu autoridades e cartorários.

Com a Central, além da economia de papel, energia, correios e espaço físico, as serventias de registro de imóveis de todo o Estado estarão interligadas, de forma a compartilhar as informações e transmiti-las com rapidez e segurança. Os dados de registro de imóveis agora ficarão acessíveis para magistrados e servidores, notários e registradores e para qualquer cidadão, pela internet. A ferramenta começa a funcionar em Belo Horizonte e será gradualmente adotada nas demais comarcas.

Na solenidade, realizada no auditório da Corregedoria-Geral de Justiça, a desembargadora Márcia Maria Milanez, chefe de gabinete da ministra do Superior Tribunal de Justiça e corregedora nacional de Justiça Nancy Andrighi recebeu a medalha de Mérito Desembargador Ruy Gouthier de Vilhena em nome da magistrada, impossibilitada de comparecer a Belo Horizonte.

Data memorável

Lembrando a entrada em vigor do Novo Código de Processo Civil na data de hoje, o corregedor Antônio Sérvulo ressaltou que também a Central de Registro Eletrônico de Imóveis (CRI-MG) assinala um momento marcante de sua gestão e um dia histórico, para o Judiciário e o público, por oferecer um salto de qualidade no que concerne a desburocratização do registro, facilidade do acesso e aumento da segurança.

O desembargador falou de sua alegria pelo fato de a plataforma trazer habilitadas, de forma inédita no país, todas as funcionalidades possíveis, e recordou a importância dos serviços prestados ao Judiciário de Primeira Instância e à Corregedoria pela ministra Nancy Andrighi para a iniciativa, pela edição do Provimento 47/2015, que estabelece diretrizes gerais para o Sistema de Registro Eletrônico de Imóveis (SREI).

A ministra Nancy Andrighi, cujo discurso foi lido pela desembargadora Márcia Milanez, afirmou que a Central “assinala um novo tempo para as serventias extrajudiciais”. A magistrada manifestou sua gratidão pelo recebimento da medalha, enfatizando que o desembargador Ruy Gouthier de Vilhena, como ela, desempenhou as funções de julgador e de corregedor. Defendendo que “um sistrema registral bem aplicado é essencial à consecução da harmonia social e do bem comum”, a ministra salientou a “segurança, a publicidade e a eficácia” da ferramenta tecnológica criada, e mencionou, além disso, que o sistema se comunica com o Processo Judicial eletrônico (PJe).

O presidente do Colégio Registral Imobiliário de Minas Gerais (Cori-MG) e oficial do 4º Ofício de Registro de Imóveis de Belo Horizonte, Francisco José Rezende dos Santos, explicou Central Eletrônica de Registro de Imóveis, que será acessada pelo endereço www.corimg.org, possibilita a visualização de matrículas na íntegra, a consulta a um repositório atualizado de procurações e outros atos de representação das pessoas físicas e jurídicas, o monitoramento dos atos registrais, cadastros de regularizações fundiárias no estado, aquisições e arrendamentos de imóveis rurais por estrangeiros, a pesquisa de informações estatísticas e a correição online.

Rapidez e praticidade

Em seguida, o diretor de informática do Cori-MG, Cláudio Ribeiro Barroso, convidou a desembargadora Márcia Milanez para se cadastrar e credenciar-se para fazer o primeiro acionamento da CRI-MG. Ele apresentou aos presentes recursos como a pesquisa de bens e direitos e a consulta a uma matrícula, mediante o fornecimento de CPF. O procedimento, como o público pôde constatar, é bastante rápido e a plataforma tem interface amigável para o usuário.

Especialista em direito notarial e registral, o desembargador Marcelo Rodrigues mostrou entusiasmo com a instalação da Central. “É uma ferramenta fantástica no que se refere à economia de tempo, de recursos públicos e mesmo de espaço físico, porque, pela facilidade de acesso, ela aproxima o cidadão de um serviço essencial, de primeira necessidade. A pessoa pode fazer o registro a qualquer hora do dia, de sua própria casa”, esclareceu.

Já a juíza Simone Saraiva de Abreu Abras, auxiliar da Corregedoria responsável pelos serviços notariais e de registro junto com o juiz Wagner Sana Duarte Morais, a Central é um grande facilitador também para os magistrados: “A fiscalização é mais segura, mais efetiva e menos onerosa, pois há um módulo da CRI-MG que permite a correição online, sem a necessidade de inspeção in loco”, argumenta.

Presenças

A mesa de honra foi composta pelo corregedor-geral de justiça, desembargador Antônio Sérvulo dos Santos; pela desembargadora Márcia Milanez, assessora da Corregedoria Nacional de Justiça; pelo 2º vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG),  desembargador Kildare Gonçalves Carvalho; pelo 3º vice-presidente, desembargador Wander Marotta; pelo vice-corregedor-geral de justiça, desembargador Marcílio Eustáquio Santos; pelo defensor público e coordenador da área cível da capital, Alexandre Tavares Costa, representando a defensora pública geral Christiane Neves Procópio Malard; pelo presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg-Brasil), Rogério Bacelar; pelo presidente da Associação dos Notários e Registradores de Minas Gerais (Serjus Anoreg-MG), Roberto Dias de Andrade, e pelo presidente do Cori-MG, Francisco José Rezende dos Santos.

Também compareceram à solenidade, entre outras autoridades, os desembargadores Herbert Carneiro, Manoel dos Reis Morais, Marcelo Rodrigues, Moacyr Lobato, Sandra Fonseca e Teresa Cristina da Cunha Peixoto; os juízes auxiliares da Corregedoria Bruno Teixeira Lino, Sérgio Henrique Cordeiro Caldas Fernandes, Henrique Oswaldo Pinto Marinho, Francisco Ricardo Sales Costa, Simone  Abras, Roberto Araújo Silva, Soraya Hassan Baz Láuar e o diretor do foro de Belo Horizonte, juiz Rui de Almeida Magalhães; a titular da Vara de Registros Públicos, juíza Maria Luíza de Andrade Rangel Pires, o juiz auxiliar da 2ª vice-presidência, Luiz Carlos Rezende e Santos; o chefe de gabinete do corregedor, Roberto Brant Rocha, a secretária de Padronização da 1ª Instância, Suporte ao Planejamento e à Ação Correicional (Sepac), Maria Cecília Belo, e o gerente da Gerência de Fiscalização dos Serviços Notariais e de Registro (Genot), Iácones Batista Vargas, cartorários e servidores.

Fonte: TJ/MG | 18/03/2016.

Publicação: Portal do RI (Registro de Imóveis) | O Portal das informações notariais, registrais e imobiliárias!

Para acompanhar as notícias do Portal do RI, siga-nos no twitter, curta a nossa página no facebook, assine nosso boletim eletrônico (newsletter), diário e gratuito, ou cadastre-se em nosso site.

Deixe seu comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>