Para fazer boa publicidade é preciso passar fome?




Amilton Alvares

Fiz uma reflexão sobre a frase do famoso publicitário Francesc Petit, o “P” da DPZ, a gigante da publicidade brasileira. Será mesmo preciso passar fome para fazer boa publicidade?

Não há dúvida que a dificuldade faz a gente crescer e amadurecer. É certo que as vicissitudes da vida alargam os nossos horizontes e asseguram melhor compreensão da realidade. A vida é bela, além do cinema; mas também é difícil. Tem gente que nunca passou fome, mas todos nós já enfrentamos muitos obstáculos nesta vida. Sempre haverá crises. O sofrimento dói, mas de uma maneira geral não mata. E se todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus, devemos então nos gloriar nas próprias tribulações. (Rm. 5.3 e 8.28).

Petit criou personagens que permanecem no imaginário popular – o galinho lequetreque da Sadia, o tucano da Varig e o garoto Bombril. Ele ganhou muitos prêmios e amava a criação. Partiu desta vida e não sabemos como será o seu encontro com o Criador.

É verdade que a dor traz amadurecimento e ajuda a moldar o caráter. A fome sempre nos leva em alguma direção. Essa jornada, conforme cada um reage diante das adversidades, pode caracterizar uma rota de fuga, desespero ou restauração. Petit teve fome de realização e se fez um dos principais ícones da nossa publicidade, por sua inigualável qualificação profissional. Imagino que também teve fome de Deus, porque todo homem tem fome e sede de Deus. Não sabemos se o Petit, com a sua criatividade, assinou antes de partir um cheque em branco e depositou no Banco celestial, confiando a travessia do fim da vida ao nosso Salvador Jesus. Mas nós, que ainda estamos vivos, não podemos perder a oportunidade de fazer o que ensinou Santo Agostinho acerca da fé: “Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que quiser”.

Eu quase passei fome na infância. Depois, Deus me levou a ocupar posições e me conduziu a lugares que eu jamais sonhara. Recebi de Deus muito mais do que preciso e mereço. Hoje, tenho fome e sede de Deus. Sei da minha dependência do Autor da vida e tenho uma certeza: ‘Quem bebeu da água amarga, pode dizer que conhece a água doce”. Andei por estradas onde muitos ficaram e ali permanecem com fome de Deus, sem perceber até mesmo que estão famintos. Dessa forma, posso convidar você a ingressar numa nova jornada e fazer parte da família de Cristo. Esse convite não é um informe publicitário do cristianismo. Não é a proposta que emergiu da genialidade de um homem. É um convite de quem conheceu o amigo Jesus. É fruto de uma caminhada ao lado de muitos famintos que entregaram a folha em branco para Deus escrever a sua história com os homens. Venha prá Cristo você também!

__________________

* O autor é Procurador da República Aposentado, Oficial do 2º Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de São José dos Campos/SP, colaborador do Portal do Registro de Imóveis (www.PORTALdoRI.com.br) e colunista do Boletim Eletrônico, diário e gratuito, do Portal do RI.

Como citar este artigo: ALVARES, Amilton. Para fazer boa publicidade é preciso passar fome?. Boletim Eletrônico do Portal do RI nº. 123/2013, de 08/09/2013. Disponível em http://www.portaldori.com.br/2013/09/08/para-fazer-boa-publicidade-e-preciso-passar-fome. Acesso em XX/XX/XX, às XX:XX.

Publicação: Portal do RI (Registro de Imóveis) | O Portal das informações notariais, registrais e imobiliárias!

Para acompanhar as notícias do Portal do RI, siga-nos no twitter, curta a nossa página no facebook, assine nosso boletim eletrônico (newsletter), diário e gratuito, ou cadastre-se em nosso site.